O que são evangelhos apócrifos? Parte I



Biografia não autorizada


Você sabia que José era viúvo e tinha vários filhos? Você sabia que a Virgem Maria durante a sua infância não tocava o chão quando caminhava? Você sabia que o menino Jesus fazia milagres para esconder suas artes?
Assim começa a propaganda de um famoso livro, chamado "A vida secreta de Jesus" e que está sendo vendido nas livrarias. Mas de onde o autor tirou essas informações? Ele nao os inventou. Simplesmente os tomou de um grupo de livros, muito antigos, chamados "evangelhos apócrifos".
O que são este evangelhos? A palavra "apócrifo" comumente possui o sentido de falso, adulterado e não autêntico. Mas na realidade vem do verbo grego "apocrypto", que significa esconder, ocultar e este termo foi empregado pelos antigos cristãos para referir-se aos evangelhos que não encontraram na Bíblia, é assim dizer, que ao não ser considerados inspirados por Deus, não foram admitidos no Novo Testamento.

Como nasceram estes evangelhos? Primeiro foram escritos os evangelhos canônicos ( de Mateus, Marcos, Lucas e João. Mas estes evangelhos tinham demasiadas lacunas sobre a vida de Jesus.
Então, para completar os silêncios dos evangelhos e recheá-los com os fatos que faltavam, se compuseram estes escritos chamado de evangelhos apócrifos.
Por isso, os evangelhos apócrifos não abarcam toda a vida de Jesus, mas sim, aborda o período de sua infância, o que nos evangelhos canônicos resultam sumamente breves, e o de sua paixão, morte e ressurreição e deixam de lado toda a sua vida pública, porque é melhor descrito nos quatro evangelhos.
Durante os primeiros anos da Igreja estes evangelhos circularam normalmente entre os fiéis e eram lidos publicamente em algumas comunidades, mas com o passar o tempo se proibiu a leitura desses evangelhos, ou seja, ficou proibido a leitura nos templos, devido as partes infantis e anedotas que possuíam.
Os evangelhos apócrifos foram perdidos ao longo do tempo, pois alguns registros são completos e outros apenas fragmentos, pois estes evangelhos se dividem em Evangelho de Santiago, Evangelho de Pedro, Evangelho de Tomás e Evangelho de Maria, no qual, ainda não era certo, mas lhes davam maior autoridade.
Quase todos os apócrifos foram escritos em grego, e depois traduzidos ao armênio, ao etíope e ao latim, ao qual demonstra o enorme êxito de que gozaram em seu momento.



O anjo da comida

Alguns começam com o nascimento da Virgem Maria que, segundo dizem, foi milagroso. Sua mãe se chamava Ana e era estéril. Joaquim, seu pai, angustiado, se foi ao deserto e jejuou por 40 dias, pedindo um filho a Deus. Estando ali, lhe apareceu um anjo e anunciou que ele nao ia ter um filho e sim uma filha, cujo nome seria célebre em todo o mundo.
Nove meses depois, Ana deu a luz a Maria.
Os apócrifos destacam que desde pequena Maria já mostrava uma inclinação para a pureza. Aos seis meses, por exemplo, sua mãe quis colocá-la no chão a fim de caminhar, mas ela se negou. Então,para que ela não tocasse o chão, construíram um andador especial por onde ela podia caminhar.
Quando completou 3 anos a levaram ao Templo de Jerusalém, e ali Maria viveu junto com outras meninas que passam o dia e a noite cantando e louvando a Deus. Mas a ela, um anjo lhe trazia comida todos os dias.
Apesar de ter somente 3 anos, dizem os apócrifos que Maria falava com total perfeição, que suas tarefas manuais eram superiores ao dos adultos, que interpretavam as Sagradas Escrituras com extraordinária sabedoria e os enfermos por ela tocados eram curados.

Tradução do Espanhol por Guilherme Paixão Campelo


Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...